Largamente utilizado na vida cotidiana, o GPS passou a ser também um grande aliado no mundo dos esportes. Seu uso é feito de várias maneiras, sendo empregado não só no automobilismo, como navegador em trilhas off-road, por exemplo, como também em esportes de aventura. Inclui-se neste rol, atividades voltadas para o lazer, como o trekking, caminhadas, ou corridas.

Quem pensa que é preciso carregar um trambolho para ter acesso a todos os benefícios da localização via satélite, engana-se. Diversas empresas têm investido em aparelhos cada vez menores e ergonômicos, que se moldam ao corpo dos atletas.

Diante desta tendência, as fabricantes canadenses Recon Instruments e Zeal Optics desenvolveram uma linha de produtos que fazem uso do georreferenciamento. Um exemplo é o óculos Zeal Z3 GPS, usado para esportes na neve, como o snowboard e o esqui. Lançado em 2011, o equipamento mostra, na parte inferior da lente, dados como a velocidade do esportista, sua altitude e localização.

Tendências do mercado de monitoramento

Outra tendência do mercado são os relógios com GPS embutido, a exemplo do Suunt Ambit, que é capaz de marcar não somente as horas, mas também a altitude, a localização e a velocidade do atleta, agregando outros recursos, como bússola, por exemplo. Outro produto nesta linha é o relógio Nike+Sportwatch GPS. Por meio de alertas sonoros, o equipamento avisa sobre a quebra de recordes e distância percorrida nos treinos, entre outras funções.

GPS para vários esportes

E quem pensa que o GPS é utilizado somente para os esportes individuais, engana-se. Nos esportes coletivos, a tecnologia é empregada para ajudar a criar estratégias, se transformando em ferramenta de grande utilidade para que treinadores e técnicos monitorem, com alto grau de detalhamento, o rendimento de seus atletas em jogo. Como explica o cientista do esporte Pedro Pereira, pesquisador do Instituto de Biofísica da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), além do futebol, o GPS pode ser empregado em outros esportes coletivos realizados ao ar livre, como corridas de longa distância, rúgbi, hóquei sobre a grama e futebol americano, entre outros.

“Devemos pensar no conceito de ergonomia do esporte. Ou seja, no dia a dia, o treinamento deve ser planejado e conduzido em função das reais exigências físicas impostas pela modalidade em questão e, para isso, o GPS funciona como uma ótima ferramenta. Nos esportes coletivos, muitos parâmetros de posicionamento e movimentação podem ser avaliados, o que, estrategicamente, pode ser muito importante para a parte tática da equipe”, explica Pedro Paulo.

Futebol de alta tecnologia

No Brasil, a tecnologia do GPS já é realidade nos campos de futebol. Pioneira no país, a empresa Performa, fundada por Pedro Paulo, se especializou no desenvolvimento de sistemas que medem o rendimento de atletas com base no georreferenciamento. Um exemplo é o sistema Smart Tracking, concebido para analisar diversos fatores de rendimento dos jogadores, como a distância total percorrida na partida, velocidade média, velocidade máxima atingida, distâncias percorridas em diferentes faixas de velocidade, bem como o número e distâncias de deslocamentos em alta intensidade. Além disso, é possível saber o posicionamento e as trajetórias do atleta em campo, incluindo informações detalhadas sobre os sprints (corridas muito intensas), entre vários outros parâmetros.

Dispositivos de monitoramento quase imperceptíveis

O sistema Smart Tracking utiliza um pequeno dispositivo GPS, que mede seis centímetros de comprimento, quatro de largura e 0,7 de espessura. O equipamento é inserido em um compartimento posicionado na parte interna do elástico do calção do atleta, não interferindo, segundo a fabricante, no seu rendimento. A partir da sua movimentação no campo, são gerados diversos relatórios pelo sistema, fornecendo informações para que técnicos e treinadores possam avaliar suas táticas em tempo real.

“Para fisiologistas e preparadores físicos, o sistema baseado em GPS permite que os atletas sejam continuamente avaliados em seu desempenho físico da forma mais específica possível, para que sejam devidamente individualizadas as rotinas de treinamento e recuperação. Para técnicos, este tipo de tecnologia possibilita um feedback exato, claro e objetivo das movimentações feitas em campo, apresentando posteriormente os resultados para os atletas”, lembra Pedro Paulo.


Fonte: http://redeglobo.globo.com/globociencia/noticia/2013/05/gps-e-adotado-nos-esportes-para-monitorar-rendimento-dos-atletas.html

© Todos os direitos reservados Grupo InLog | Desenvolvido por Fresh Lab Agencia digital